quinta-feira, 17 de maio de 2018

Festival - Bazar Itinerante!

maio 17, 2018 0
agatha-limas

No final de semana do dia das mães aconteceu mais uma edição do Bazar Itinerante, em Balneário Camboriú. Fui convidada para falar um pouquinho sobre moda e consumo consciente e aproveitei para conferir os 20 expositores criativos que estavam por lá.

No decorrer dos dias, vou escrever sobre as marcas com as quais me identifiquei, mas hoje quero contar um pouquinho sobre a ideia do festival e a importância de iniciativas como esta. 

O Bazar Itinerante é um evento multicultural que nasceu em 2012, na cidade de Jaraguá do Sul, reúne trabalhos autorais e independentes nos seguimentos de moda, design, artesanato, música, oficinas, gastronomia, tudo em um só lugar.

Surgiu com a missão de propagar a economia criativa do sul do Brasil, apresentar projetos e produtos autorais e sustentáveis, com o objetivo claro em conectar criador e consumidor. 

Eu que sempre fui encantada por iniciativas como esta, não poderia deixar de contar sobre minha experiência nesta edição do Bazar, onde não estive somente como consumidora e admiradora, mas também pude contribuir participando de uma roda de conversa sobre autoconhecimento e moda consciente. 

Em um bate papo tranquilo, trocamos experiências sobre consumo consciente e uma nova forma de pensar na economia, sendo esta mais ética, criativa e colaborativa. Levantamos assuntos como o movimento Fashion Revolution e as condições análogas de trabalho na indústria da moda. A relevância de debates sobre sustentabilidade e mudanças de hábitos através do autoconhecimento. 

Esta é a moda em que eu acredito, onde cada peça encontrada conta uma história. Onde conhecemos os criadores, os artistas que estão por trás das nossas escolhas, com os quais conseguimos conectar nossos propósitos. 

Você conhece mais festivais com este perfil? Conta pra gente. ;)


segunda-feira, 14 de maio de 2018

ONG - Ação ANIMAL!

maio 14, 2018 0

Faz algum tempo que venho acompanhando o trabalho e ajudando a SOS Peludinhos, aqui na cidade onde vivo, mas este ano coloquei entre minhas metas, me envolver mais com os projetos da ONG.
Venho participando de feiras de adoção e percebi como é complicado este tipo de ação. São tantos obstáculos, tanto trabalho antes, durante e depois do evento.

Mas também pude entender porque em meio a tantas dificuldades, os voluntários nunca desistem. O sentimento em poder ajudar, dar carinho para tantos bichinhos carentes e presenciar a adoção responsável, por famílias felizes é mais do que compensador, é libertador. 

A ONG SOS Peludinhos foi fundada em 2011 e tem como missão divulgar a tutoria consciente, a importância da castração e a promover a qualidade de vida para os animais da cidade de Itajaí.

Por não ter sede própria, contam com a nossa colaboração. Ajudam abrigos, recolhem animais abandonados, doentes ou vítimas de maus tratos, recuperam-os e encaminham para lares saudáveis.

Sempre quando estou nas feiras gosto de conversar com as voluntárias da ONG para entender seus maiores desafios e nas últimas que participei notei como é difícil organizar os cães e gatos para expor à doação, são poucas cercas para tantos bichinhos que acabam surgindo. Outro grande impasse é a "devolução" dos animais adotados, por inúmeras razões, muitas pessoas desistem de ficar com eles. A falta de lares temporários também é um grande problema, há sempre mais animais necessitados do que a quantidade disponível de locais para abrigá-los.

Estou escrevendo este post, para mostrar que por mais difícil que pareça é super possível ajudar, o mínimo que cada um de nós fizer será de grande valia para a ONG.

Existem diversas formas de ser solidário. É possível ser voluntário em ações de rua, contribuir com rações, medicamentos e ítens pet em geral, além de auxílio financeiro. Este último pode ser feito através da conta bancária da ONG, ou diretamente pelo cartão de crédito, estipulando uma quantia e doando automaticamente todo mês. Todas as informações estão nas redes sociais da ONG, clicando aqui e aqui.
Quem puder contribuir ou quiser participar das próximas ações pode conversar comigo, através das redes sociais ou me enviando um e-mail contato@agathalimas.com.br ;)

quinta-feira, 10 de maio de 2018

Florianópolis - Mercado São Jorge

maio 10, 2018 0
Se tem uma coisa que me fascina são lugares aconchegantes. Em uma estrutura rica em detalhes, o Mercado São Jorge em Florianópolis é assim, simples e acolhedor.

Na semana passada fomos pela primeira vez e ontem já estivemos por lá novamente. O lugar é perfeito para quem quer viver uma experiência gastronômica descontraída. Atende à todos os públicos, o que faz do local uma boa pedida para o almoço, café, happy hour, uma janta à dois ou até uma reunião de negócios. 

Sem contar que todos os corredores nos encantam com tantas delícias para levar pra casa, tem diversas opções de comidinhas que vão de pimenta orgânica à biscoitinhos sem glúten e outras coisinhas bem diferentonas.

E o que falar das lojinhas colaborativas? Na Sta Maria Casa na Loja Belverde várias marcas expõem seus produtos. Encontramos além de roupas e acessórios autorais (de marcas cheias de propósito) produtos naturais e muitas alternativas de beleza e higiene pessoal mais sustentáveis.

No meio dos corredores tem uma feirinha orgânica, tudo de produtores locais e livres de agrotóxicos. Nós aproveitamos para comprar algumas frutas, verduras, feijão e até pinhão, tudo fresquinho.

Claro que jantamos por ali mesmo. Experimentamos uma focaccia de cogumelos e aspargos, cheia de sabor da Di Costanzo e também um lanche do Açougue Vegano, que conhecemos no Rio e ficamos super felizes em saber que agora estão por aqui também. Para acompanhar, um belo chopp artesanal, é claro, nas torneiras do Books & Beer sempre com diferentes estilos da região.

É fácil notar que todas as opções gastronômicas foram cuidadosamente selecionadas. Tem para todos os gostos e estilos. Super descolado, o local é realmente uma mistura de shopping com mercado. Tem fácil acesso, estacionamento e um clima delicioso.

Imagens retiradas do facebook do Mercado São Jorge.
Mercado São Jorge Rua Brejaúna, 43 - Itacorubi . Florianópolis - SC.

segunda-feira, 7 de maio de 2018

08 meses sem shampoo e condicionador!

maio 07, 2018 0
Foto: Pinterest

Já faz algum tempo que venho buscando alternativas mais saudáveis para o meu dia a dia e consequentemente para o planeta.

Neste caminho, uma das minhas primeiras mudanças foi no uso de shampoo e condicionador. Descobri o bicarbonato de sódio e seus inúmeros benefícios. Sabia que estava dentro de várias receitas na cozinha e que é um enorme aliado aos produtos de limpeza, mas não fazia ideia da versatilidade também dentro dos produtos de higiene pessoal. 

Desde setembro venho lavando meu cabelo somente com bicarbonato de sódio e complementando o ritual com vinagre de maça, além de mais econômico e saudável esta solução me trouxe inúmeros benefícios e um cabelo mais brilhoso por muito mais tempo. 

No início achei bem estranho, acostumada com o líquido e a sempre ter muita espuma no banho, fiquei desconfiada que não fosse dar certo, mas insisti na ideia. As primeiras lavadas são de autodescoberta mesmo, pra mim foi preciso uns 15 dias para ter o resultado desejado. 

Ele não faz espuma e não tem cheirinho de shampoo comercial. Mas o resultado é incrível. Meu cabelo está mais saudável, tem muito mais brilho, está menos oleoso e tem crescido muito, muito mais.

Como funciona? O bicarbonato de sódio evita o acúmulo de resíduos no couro cabeludo e não possui ingredientes nocivos, como parabenos, sulfato, corante ou fragrâncias químicas. Mas como o PH do bicarbonato é alcalino ele acaba abrindo as cutículas dos fios, por isso o vinagre de maça entra em segundo plano, no lugar do condicionador, ajudando a fechar as escamas do fio e dando brilho. 

Para o meu cabelo, uso 1 colher pequena cheia de bicarbonato e cubro esta quantidade com água em um potinho. Gosto da textura mais encorpada, não tão líquida. Acredito que cada um de vocês vai encontrar a melhor medida, mas depois de algumas tentativas, esta tem sido a ideal para mim. 

Descobri neste processo que muito mais importante do que o shampoo que escolhemos, é a forma com que lavamos o nosso cabelo. É importante demais ter paciência e massagear bem o couro cabeludo, eu costumo ir lavando parte por parte, bem devagar. 

Após esse processo finalizo com o vinagre de maça, que também diluo na água. Ao contrário do que muitos pensam, inclusive eu mesma, o cabelo não ficará com cheiro de vinagre ;)

Eu comprei um borrifador e nele tenho sempre metade de vinagre de maça e outra metade de água. Antes de usar sempre agito bem. Borrifo somente nas pontas, pois meu cabelo é oleoso e senti que assim ficou melhor. Depois de aplicar o vinagre, eu penteio os fios e só depois enxáguo. 

Experimente, só descobrimos novas alternativas se testarmos, não é mesmo?!

quinta-feira, 29 de março de 2018

FASHION REVOLUTION WEEK

março 29, 2018 0


Dia 24 de abril de 2013 foi um dia marcante para a história da moda. Dessa vez, não foi por um desfile incrível ou por uma grande inovação, mas pela tragédia causada pelo desabamento do edifício Rana Plaza, em Bangladesh, que abrigava diversas confecções. Mais de mil pessoas morreram e mais de 2500 ficaram gravemente feridas.

O desastre fez com que as pessoas olhassem com mais atenção à cadeia de produção da moda, ao modelo fast fashion e às pessoas por trás das roupas que vestimos. Foi nesse contexto que o Fashion Revolution, movimento global presente em mais de 90 países, nasceu, questionando e discutindo os impactos da indústria na vida das pessoas e lutando por uma transformação no mercado fashion.

Este ano a campanha trás o tema: "05 Anos após Rana Plaza". E neste tempo, os avanços foram notáveis:

Dados gerais:

- Ano passado 2,5 milhões de pessoas se envolveram com o movimento. Mais de 100 mil pessoas questionaram #whomademyclothes
- 2.416 marcas responderam a hashtag e compartilharam informações sobre a sua cadeia produtiva. 
- Mais de 150 grandes marcas publicaram onde são feitas suas roupas 
- Por ano, mais de 3.600 profissionais responderam #imadeyourclothes 
- Mais de 1.300 fábricas foram inspecionadas em Bangladesh desde a
tragédia do Rana Plaza
- O governo de Bangladesh aumentou em 77% o salário mínimo da área (agora são $68 por mês)
Mais de 70 marcas se comprometeram a participar da campanha Detox
do Greenpeace, que consiste em eliminar os produtos químicos prejudiciais das cadeias de produção da moda. Juntas, essas marcas representam 15% da produção têxtil global

Dados do Brasil:

- Em 2017, 225 eventos aconteceram em 37 cidades durante a Semana Fashion Revolution
- 150 atividades aconteceram em 50 faculdades, com a participação de 31
estudantes embaixadores
- O Brasil foi o país com o maior uso da hashtag #fashionrevolution, com 19% das menções mundiais, totalizando 4.884

Este ano entrei para o time da Semana Fashion Revolution, representando Balneário Camboriú e junto de pessoas especiais e engajadas faremos algumas eventos durante os dias 23 e 29 de Abril. Em breve divulgaremos a programação completa da semana, fique por dentro clicando aqui.

Enquanto isso, se quiser saber mais sobre o movimento, pode acessar aqui e aqui.  

@agathalimas

Follow Me